Como calcular imposto de renda e desconto do INSS no seu salário?

Como calcular o Imposto de Renda (IR) descontado do meu salário? E o desconto do INSS? Estas foram as principais perguntas enviadas para nosso blog após a divulgação de nosso artigo “O que é Imposto de Renda?”.

Todos os meses você se depara com uma série de descontos em seu contracheque, correto?

como calcular imposto de renda ir

A maioria destes descontos é de fácil compreensão, como o plano de saúde, vale alimentação, vale transporte e contribuição sindical.

Contudo, os descontos referentes ao Imposto de Renda (IR) e INSS sempre suscitam dúvidas com relação à forma como são calculados.

Para entendermos como calcular o imposto de renda descontado mensalmente de nosso salário, é preciso compreender também o cálculo e desconto do INSS.

Você pode estar se perguntado o porquê deveria saber o que é INSS, certo? Pois bem, o cálculo do imposto de renda é atrelado ao cálculo do INSS.

Logo, não é possível entender o desconto do IR sem considerar o cálculo do INSS.





O que é INSS?


O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) é uma autarquia do Governo Federal, que está vinculada ao Ministério do Trabalho e Previdência Social.

O INSS é considerado o caixa da Previdência Social por receber esta contribuição obrigatória dos trabalhadores com carteira assinada.

Obs.: Além desta contribuição obrigatória por parte dos trabalhadores com registro em carteira, trabalhadores autônomos também podem aderir ao INSS através de contribuição facultativa.

A arrecadação com o INSS é destinada ao pagamento dos seguintes benefícios aos seus contribuintes:

  • Aposentadorias por tempo de contribuição, idade ou invalidez.
  • Pensão por morte.
  • Salário maternidade e família.
  • Reabilitação profissional.
  • Auxílio doença.
  • Auxílio acidente.
  • Auxílio reclusão.
  • Auxílio reclusão.

Para os trabalhadores com carteira assinada, o valor a ser pago ao INSS é progressivo e dependerá do salário mensal que recebem, obedecendo a tabela abaixo:

calculo inss descono inss

Obs.: Estas alíquotas entraram em vigor no dia 1 de janeiro de 2016. Para conferir atualizações, recomendamos o acesso direto ao site do Ministério do Trabalho e Previdência Social.


Entendendo o desconto do INSS


Para facilitar o entendimento de como é feito o cálculo do valor pago ao INSS mensalmente, vamos descrever duas situações hipotéticas.

Situação 1: Flávio recebe um salário mensal de R$ 2.000,00.

Sendo assim, a renda de Flávio é enquadrada na segunda faixa da Tabela do INSS (R$ 1.556,95 a R$ 2.594,92) e possui alíquota de 9%.

Mas o que isso significa?

Significa que Flávio terá que contribuir obrigatoriamente com 9% do seu salário para a Previdência Social (INSS).

Ou seja, Flávio observará um desconto de R$ 180,00 no seu contracheque todos os meses (9% de R$ 2.000).

Situação 2: Ana Júlia recebe um salário de R$ 6.000,00.

Neste exemplo, Ana Júlia está enquadrada acima da terceira faixa da tabela do INSS, que possui alíquota de 11%.

Se nós seguíssemos a mesma lógica da situação 1, poderíamos pensar que Ana Júlia seria obrigada a pagar R$ 660,00, ou seja, 11% do seu salário de R$ 6.000,00.

Entretanto, para descontos acima dos valores da terceira faixa da tabela do INSS o desconto de 11% deve incidir somente sobre o valor-teto de R$ 5.189,82.

Sendo assim, a contribuição correta de Ana Júlia será um pouco menor, ou seja, R$ 570,88 (11% de R$ 5.189,82).

E por que o Governo não cobra a alíquota de 11% em cima de todo o seu salário?

Isto ocorre porque o valor de R$ 5.189,82 corresponde ao valor máximo (valor-teto) pago pelo INSS na forma de aposentadoria aos seus contribuintes.

Ou seja, se você recebe R$ 20.000 e vai se aposentar pelo INSS, a sua aposentadoria será de no máximo R$ 5.189,82.

Dessa forma, quando o indivíduo recebe o salário acima deste limite máximo, ele é descontado apenas em cima do valor do teto, que será o valor máximo pago pelo INSS no momento da sua aposentadoria (com valores corrigidos futuramente, é claro).

Justo, não acha?





Como calcular o Imposto de Renda


Após a demonstração de como funciona o desconto do INSS para Previdência Social, vamos ao detalhamento do cálculo do IR mensal.

calculo ir imposto de renda

Para calcular o valor a ser pago mensalmente de imposto de renda, deve-se, primeiramente, chegar ao valor da base de cálculo, que é diferente do seu salário total bruto.

Para isto, os passos descritos abaixo devem ser seguidos.

  1. Verificar seu salário bruto total (com a inclusão de todos adicionais, se você receber).
  1. Subtrair deste salário bruto total o valor do desconto do INSS.
  1. Subtrair do montante restante o valor referente ao número de dependentes.

Em 2016, o valor a ser deduzido por cada dependente é de R$ 189,59.

Para consultar valores históricos e atualizados, recomendamos o acesso direto ao site da Receita Federal.

  1. Subtrair do montante restante o valor pago a título de pensão alimentícia, quando em cumprimento de decisão judicial.
  1. Subtrair do montante restante o valor pago em previdência privada.

Recomendamos consultar o site da Receita Federal para verificar as condições necessárias para utilizar este tipo de dedução.

  1. Após estas deduções (INSS, dependentes, pensão alimentícia e previdência privada), o contribuinte terá o valor-base para o cálculo do desconto mensal do IR.

Existem outras deduções que podem ser abatidas, apesar de não serem tão comuns:

  • Funpresp.
  • FAPI e parcela isenta de aposentadoria.
  • Reserva remunerada, reforma e pensão para declarantes acima de 65 anos.

Se você se enquadrar em uma dessas deduções, também poderá utilizá-las para encontrar o seu valor-base.

  1. Consultar a tabela do IR mensal para verificar em qual faixa se enquadra o seu valor-base e qual a alíquota a ser paga.

Repare que, assim como o INSS, a alíquota do IR é progressiva, ou seja, quanto maior o seu salário, maior será o desconto do imposto de renda.

como calcular imposto de renda calculo ir

Obs.: O valores desta tabela IR se referem ao exercício de 2016. Para atualizações ou consulta de valores históricos dos anos anteriores, recomendamos o acesso direto ao site da Receita Federal.

  1. Aplicar a alíquota do IR sobre o valor-base.
  1. Subtrair a parcela a deduzir do valor encontrado no item 8.
  1. Pronto! Este será o valor do desconto do imposto de renda observado mensalmente em seu contracheque.

calculo inss e ir




Para facilitar o cálculo do IR, você pode usar a seguinte fórmula:

Fórmula para o cálculo do IR mensal = {[Total de vencimentos – Deduções (INSS, dependentes, pensão alimentícia, previdência privada)] x Alíquota} – Parcela a deduzir

Ainda está confuso? Que tal melhorarmos com um exemplo?

João ganha R$ 7.000,00 (salário bruto total), não sabe qual será o valor do desconto mensal IR em seu contracheque e possui as seguintes características:

  • Tem 2 dependentes;
  • Não paga pensão alimentícia;
  • Não possui previdência privada ou qualquer outra dedução possível.

Vamos agora aplicar os 10 passos listados anteriormente para facilitar o entendimento:

  1. Salário bruto total = R$ 7.000.
  1. Desconto INSS = R$ 570,88 (11% do valor-teto de R$ 5.189,82).

Logo, o valor-base do IR passa a ser R$ 6.429,12 (R$ 7.000,00 – R$ 570,88).

  1. Dedução com dependentes = 2 x R$ 189,59 = R$ 379,18.

O valor-base do IR diminui para R$ 6.049,94 (R$ 6.429,12 – R$ 379,18).

  1. Não tem dedução com pensão alimentícia.
  1. Não tem dedução com previdência privada.
  1. Logo, o valor-base para cálculo do IR é de R$ 6.049,94.
  1. Após consultar a tabela do IR mensal, verifica-se que a alíquota do IR para este valor-base é de 27,5% (faixa acima de R$ 4.664,68).
  1. Ao aplicar a alíquota do IR sobre o valor-base, teremos: 27,5% x R$ 6.049,94 = R$ 1.663,74.
  1. Subtraindo a parcela a deduzir: R$ 1.663,74 – 869,36 = R$ 794,38.
  1. Pronto! O desconto mensal do IR no salário de João será de R$ 794,38.

Após aprendermos de forma completa como é realizado o cálculo do imposto de renda, você pode estar curioso para fazer a simulação em cima do seu salário.

Entretanto, pode ter achado que são muitos cálculos e vai dar muito trabalho, correto?

Pois bem, ressaltamos que existe uma forma muito mais rápida e simples para obter este valor.

Basta acessar o simulador disponível no Site da Receita Federal.

Este simulador é muito fácil de ser utilizado e além do cálculo do imposto de renda mensal, também é possível calcular o imposto de renda anual.

Obs.: Se você tem interesse em calcular o adicional de insalubridade e periculosidade, basta acessar nossos artigos através dos links: insalubridade ou periculosidade.





Parcela a deduzir no IR


Muitas pessoas questionam os misteriosos valores da “parcela a deduzir” aplicados em cada faixa da tabela do IR.

As perguntas mais frequentes são: “De onde vem?” e “Para que servem estes valores?”.

Esta “parcela a deduzir” tem o objetivo de garantir que mesmo que a pessoa tenha uma renda enquadrada na maior alíquota, a parcela da sua renda enquadrada nas primeiras faixas seja tributada pelas alíquotas correspondentes.

Ainda está confuso, não acha?

Vamos tentar melhorar com mais um exemplo?

Para isto, voltemos ao  caso do João que ganha R$ 7.000 e não sabia qual seria o valor do desconto mensal do imposto de renda em seu contracheque.

Se não tivesse considerado a subtração do valor da “parcela a deduzir”, João teria encontrado o desconto do IR em seu salário de R$ 1.663,74 (valor até o passo 8).

Entretanto, vimos que o desconto real do IR (R$ 794,38) é bem menor graças ao valor da parcela a deduzir.

Em nosso exemplo do João, podemos entender que ele ganha um salário dividido nas diversas faixas da tabela do Imposto de Renda. Ou seja, do total do seu valor-base de R$ 6.049,94 (salário bruto total de R$ 7.000 menos as deduções):

  • R$ 1.903,98 está enquadrado como isento;
  • R$ 922,66 (diferença entre a faixa de R$ 1.903,99 até R$ 2.826,65) está enquadrado na alíquota de 7,5%, o que daria um imposto de renda de R$ 69,20;
  • R$ 924,39 (diferença entre a faixa de R$ 2.826,66 até R$ 3.751,05) está enquadrado na alíquota de 15,0%, o que daria um imposto de renda de R$ 138,66;
  • R$ 913,62 (diferença entre a faixa de R$ 3.751,06 até R$ 4.664,68) está enquadrado na alíquota de 22,5%, o que daria um imposto de renda de R$ 205,57;
  • R$ 1.385,26 (valor do salário acima da faixa de R$ 4.664,68) está enquadrado na alíquota de 27,5%, o que daria um imposto de renda de R$ 380,95.

Desta forma, o imposto de renda de João calculado separadamente nas diversas faixas seria uma soma destes valores apresentados acima, ou seja, R$ 794,38.

Opa! Este imposto foi exatamente o mesmo calculado anteriormente com o auxílio da “parcela a deduzir”. A única diferença foi que deu muito mais trabalho para chegar a este resultado com o cálculo separado por faixas, não acha?

Sendo assim, a “parcela a deduzir” é uma ferramenta utilizada pelo Governo para equilibrar a distribuição do desconto do imposto de renda nas diversas faixas, tornando a cobrança do IR muito mais justa para o contribuinte.


Aprendemos neste artigo o que é e como é feito o cálculo do desconto do INSS.

Aprendemos, também, como calcular o imposto de renda descontado mensalmente de seu salário e a justificativa para aplicação da parcela a deduzir.

Para se aprofundar no tema, sugerimos a leitura de nossa série completa sobre o Imposto de Renda:

Se você gostou deste artigo, que tal aprender nossas estratégias pessoais para maximizar os lucros e minimizar os riscos em investimentos em Renda Fixa? Conheça o nosso livro “Investimentos Seguros e Rentáveis”. Temos certeza que irá gostar!



96 Comentários


  1. Olá,

    Fiz os cálculos do IRRF conforme o passo a passo que foi postado aqui nesse artigo. Nenhum dos valores bateu com os apresentados no contracheque. Pesquisei no site da receita se as alíquotas foram atualizadas, mas ainda eram os mesmo números. Refiz os cálculos duas vezes, e nenhum bateu com o contracheque. Essa diferença é recebida na restituição do IR, ou eu tenho que me preocupar com isso?

    Responder

    1. Nasser, teoricamente a diferença é corrigida na entrega da Declaração Anual do Imposto de Renda e, consequentemente, na restituição do IR. Entretanto, se os valores forem muito diferentes o ideal é procurar o RH da sua empresa e fazer a contestação, ok?

      Responder

    1. Katherine, para incluir o cônjuge como dependente precisa observar algumas restrições impostas pela Receita Federal. Acredito que o ideal seja fazer uma consulta direta através de um meio de comunicação oficial.

      Responder

  2. Post sensacional, único lugar onde encontrei uma explicação sobre a “parcela a deduzir”. Muito obrigado e parabéns pelo trabalho.

    Responder

  3. Ótimo post, muito sucinto e explicativo, porém estou com uma dúvida, eu recebo como salário base a quantia de R$1760,00, porém trabalho com regime de plantões onde recebo por eles, em alguns meses meu salário liquido chega a R$2.200,00+, gostaria de saber, se o desconto do IR teria que existir na minha folha de pagamento ou por meu salário base ser abaixo da faixa de contribuição eu não devo ter esse valor descontado?

    Responder

    1. Henrique, quando o seu salário ultrapassar o limite de isenção, você será cobrado IR. Entretanto, na declaração de ajuste anual, talvez você receba este valor de volta como restituição, pois pode ser que o montante recebido seja menor do que o limite estipulado. Por isso, é importante você preencher a declaração de ajuste anual com calma e verificar se tem dinheiro a receber.

      Responder

  4. Ola, quero muito saber,porque que eu tenho que pagar DARF do Imposto de Renda todo Ano ,se todo mês vem descontado em folha de pagamento,neste caso não estou pagando duas vezes.???

    Responder

    1. Lourdes, você não paga duas vezes. O DARF nada mais é do que uma diferença entre o que você já pagou e o que deveria efetivamente ter pago. Tem pessoas que possuem muitas despesas dedutíveis ao longo do ano e ao fazerem a declaração anual acabam recebendo dinheiro em vez de pagar, por exemplo.

      Responder
← Anteriores Página 3 de 3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *