Quais as principais diferenças entre Cooperativa de Crédito e Banco?


Cartão de crédito ou débito, poupança, empréstimo entres outros produtos podem até parecer que são uma exclusividade dos bancos.

No entanto, existe outra categoria de entidades que fornece os mesmos tipos de serviços financeiros e que não tem nada a ver com os processos comuns bancários: a cooperativa de crédito.

Com uma origem bem diferente das instituições financeiras tradicionais, esse tipo de organização tem como principal característica a participação maior de seus clientes.

Quer saber como ela funciona? Neste texto, vamos falar tudo o que você precisa saber sobre as cooperativas de crédito. Confira!

O que é uma cooperativa de crédito?


como-funciona-cooperativas-de-credito

De maneira geral, uma cooperativa de crédito pode ser classificada como uma associação de um grupo de pessoas com o objetivo de ter benefícios financeiros.

Durante muito tempo, essa espécie de instituição esteve associada ao agronegócio, já que era usada pelo setor para financiar as produções agrícolas. Contudo, ao longo dos anos, ela passou a ser utilizada por outros setores.

Nesse contexto, na década de 2010, houve uma mudança importante quanto a legislação que facilitou as atividades dessas cooperativas.

Até 2003, elas eram fechadas a determinados grupos de profissionais, de forma que, por exemplo, em uma associação feita por médicos, apenas pessoas dessa profissão podiam fazer parte.

Com a Resolução 3.342/2007, houve a permissão de torná-las mista, então, trabalhadores de diferentes áreas podem agora fazer parte das associações.

Como as cooperativas funcionam?


Para utilizar os serviços oferecidos pela cooperativa, a única coisa necessária é se associar. Para isso, é preciso fornecer uma quantia inicial que é chamada de capital social.

Esse valor pode variar entre R$ 1.000 e R$ 5.000, e vai depender do tamanho da organização. Algumas até permitem que essa quantia seja parcelada.

Nesse ponto, é preciso atentar ao fato de que cooperativas pequenas geralmente exigem um valor maior, já que contam com menos associados para assegurar o seu funcionamento.

O capital social é pago apenas uma vez, porém, durante o período de associação, se o interessado quiser, pode realizar mais aportes.

Quais são as diferenças entre bancos e cooperativas de crédito?


diferenca-entre-banco-e-cooperativa-de-credito

Como explicamos, as cooperativas de créditos têm como principal característica a maior participação dos associados.

Entretanto, existem outras qualidades que fazem essas associações serem diferentes dos bancos. Vamos entender mais a seguir.

Os clientes também são donos

O que geralmente acontece no trabalho dos bancos é que quem controla as suas ações são um grupo de acionistas.

Nesse caso, não há a participação dos clientes nas decisões sobre o dinheiro, nas definições dos produtos e investimentos.

Porém, no caso das cooperativas são os próprios associados responsáveis pela administração da instituição. Como cada um dá a sua contribuição econômica, eles têm direito a partes do negócio.

Os clientes tem papel na tomada de decisões

Outra característica bem diferente dos bancos é que as cooperativas têm uma abertura de participação muito maior.

Os associados têm direito a voto sobre as escolhas do negócio e não há diferença de valor nas votações.

Sendo assim, as decisões são feitas de maneira democrática durante as assembleias gerais.

Isso é bem diferente de um banco em que os clientes não têm nenhum poder e não influenciam nas escolhas dos produtos.

Além disso, nas cooperativas, os associados têm direito a acessar todas as informações a respeito, opinar e usufruir os serviços oferecidos.

Os objetivos são diferentes

Saiba que um dos principais objetivos dos bancos é ter cada vez mais lucros. Para isso, eles precisam atrair mais clientes, investimentos em suas operações e expandir o negócio. Nada disso é repassado para os seus correntistas.

No entanto, diferente das instituições bancárias, as cooperativas de crédito, por ter uma participação de 100% dos associados seus objetivos, não estão diretamente ligadas a obter lucro.

Os resultados das ações da cooperativa são reinvestidos e o que sobra são distribuídos para os associados de acordo com a sua participação. O que traz uma vantagem aos “clientes” da cooperativa.

Além disso, como o lucro não é objetivo principal, as cooperativas acabam cobrando taxas um pouco menores na hora de oferecer os serviços financeiros.

As taxas de juros são menores

As cooperativas usam o capital e o patrimônio adquirido dos investimentos e outras iniciativas financeiras para captar os recursos em bancos públicos e privados.

Nesse sentido, elas contam com diferentes estratégias para o financiamento, tais quais:

  • Convênio
  • Depósitos em custódia
  • Cobrança de títulos
  • Aplicações em ativos e afins.

Desse modo, tudo o que é conquistado é repassado para a instituição, o que dá a possibilidade de juros mais baixos e também de prazos muito mais vantajosos para os clientes.

Esse processo, por sua vez, é totalmente diferente dos bancos, que utilizam as taxas para obter mais lucro em suas operações e cujos juros podem chegar a 500% ao ano.

Os resultados são diferentes

Nas cooperativas, os resultados estão vinculados ao desenvolvimento financeiro de todos que participam.

Logo, há uma tendência a priorizar os investimentos locais, além de evitarem fazer distinção entre os associados de acordo com sua renda. Isso proporciona acesso total aos mesmos tipos de investimentos e produtos.

Mais uma vez, é válido afirmar que isso não é algo que acontece nos bancos. Pelo contrário: clientes com um certo patrimônio tem acesso a mais vantagens do que aqueles que têm um poder aquisitivo menor. Essas instituições também possuem a meta de serem extremamente competitivas.


Ao longo deste texto, você pôde entender o que é e como funciona uma cooperativa de crédito.

Vimos que é uma espécie de associação entre pessoas físicas ou empresas que se juntam a fim de obter vantagens financeiras e administrar seu patrimônio.

Diferente de bancos, essas instituições permitem uma participação total de seus clientes (associados) de maneira que não só eles tenham acesso aos lucros, como também, podem decidir sobre produtos e serviços disponibilizados.

Esperamos que este texto tenha esclarecido as suas dúvidas sobre quais são as diferenças entre uma cooperativa de crédito e um banco.

Quer continuar acompanhando posts como esse? Então, curta agora a nossa página no Facebook!

Compartilhe:
Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Telegram

Faça um comentário

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS!

Publicidade

Procure o tema do seu interesse

Usamos cookies e tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência neste site e personalizar publicidade. Ao continuar navegando, você concorda com isso.