Importações de matérias-primas da China registram alta em junho

Em junho, as importações de matérias-primas da China registraram ganhos. As matérias-primas incluem petróleo, soja e cobre.

Esse movimento dá um gás na recuperação da pandemia causada pelo coronavírus que reduziu o crescimento global e abalou os mercados.

Diante deste cenário, os embarques de petróleo e soja registraram um movimento grande em junho, com cargas a preços acessíveis e registrando mínimas históricas.

Por outro lado, as aquisições de cobre e minério de ferro aumentaram diante das expectativas de que a atividade manufatureira chinesa irá liberar novas demandas.

China

Vale destacar que o país asiático foi o primeiro a registrar casos de coronavírus e hoje já apresenta sinais de recuperação econômica. Os números apresentados mostraram aumento tanto das exportações quanto das importações.

Ao que tudo indica, os aumentos sempre acontecem quando economias desenvolvidas começam a reabrir e teoricamente fortalecem as perspectivas para as exportações do país asiático nos próximos meses.

Analistas de mercado afirmam que as quantidades de importação foram singularmente fortes, o que aponta para uma demanda doméstica grande e para algumas compras oportunistas quando os preços estavam baixos.

Contudo, as importações mensais poderão a vir registrar perdas após os aumentos recentes dos preços das commodities e com isso maior retomada da atividade econômica em outros lugares deve erguer as exportações da China.

Petróleo

Vale ressaltar que a China importou um volume recorde de petróleo em junho. E possui uma fila de navios que transportam petróleo barato para descarregar remessas em tanques de armazenamento já cheios.

Com isso, o petróleo tipo Brent foi comerciado, em média, nos US$ 40 o barril no mês passado, em comparação com US$ 63 em 2019.

Diante deste cenário, uma quantidade enorme de soja desembarcou nos portos chineses depois que expandiram as compras do Brasil para aproveitar os preços baratos em meio à crescente demanda por ração e recuperação do rebanho suíno.

Por outro lado, as importações de gás natural da China registraram crescimento de 11% em relação ao ano passado. Ao que tudo indica, o movimento foi influenciado pelo aumento das compras de entregas por via marítima.

Já as aquisições de cobre em bruto registraram recorde. E, as importações de minério de ferro se aproximaram de uma máxima histórica.

Diante de todas as informações apresentadas aqui, as importações chinesas ascenderam para o maior nível desde a crise financeira global, enquanto as exportações declinaram para o menor patamar em oito anos.

Leia também:


Gostou da nossa matéria? Para ficar sempre atualizado, siga nossas Redes Sociais: Facebook, TwitterInstagram.

Para relatar erros, clique aqui. Conteúdo publicado originalmente por bonsinvestimentos.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.