Latam Brasil segue operando normalmente e nada muda para o consumidor

Na quinta-feira, 09, a Latam Brasil entrou com pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos. Com isso, a unidade brasileira se juntou ao processo de recuperação que a empresa havia solicitado para outros países e já estava em curso em território americano.

Não é novidade para ninguém que a crise gerada pela pandemia impactou severamente o setor aéreo e, diante da incerteza duradoura, a recuperação judicial é uma alternativa para a empresa.

Contudo, alguns consumidores já compraram passagens aéreas e tem dúvidas de como ficará a situação. Em nota, a Latam Brasil garantiu que segue operando normalmente e nada muda para o consumidor.

A empresa garante que está comprometida em preservar a continuidade dos negócios à medida que se reorganiza – especialmente em relação a clientes, funcionários, parceiros comerciais, comunidades locais e fornecedores.

Ao que tudo indica, os voos seguem operando em sua normalidade, da mesma maneira que as afiliadas do Grupo Latam. Em nota, a Companhia afirmou que serão respeitadas todas as passagens aéreas atuais e futuras, reembolsos e vouchers de viagem, bem como as políticas de flexibilidade e as demais normas vigentes.

A Latam Brasil afirmou que os funcionários receberão seus proventos e demais benefícios previstos em contrato sem qualquer tipo de alteração, e os fornecedores também não terão qualquer tipo de impacto, o pagamento de serviços e materiais continuarão normais.

Riscos

Os riscos devem ser considerados pelo consumidor.

O consumidor que adquiriu passagem para 2021 deverá ponderar, pois não sabemos a extensão da crise ou quanto fôlego a empresa ainda tem.

Contudo, não é necessário entrar em desespero para pedir devolução, mas vale ficar atento ao desenrolar do processo de recuperação judicial.

Analistas de mercado acreditam que embora o consumidor seja fonte de renda para a Companhia, estes devem evitar de comprar passagens com bastante antecedência, pelo menos até que o processo de recuperação seja concluído.

Nesse tipo de situação, a empresa tem total interesse em manter a credibilidade, além de não poder perder mais receita do que a crise já provocou, porém, apesar de ser difícil, pode ocorrer de em caso de desistência do passageiro a empresa não querer devolver o valor integral do voo.

O consumidor que tiver dificuldade para reaver o dinheiro gasto, deverá buscar o Procon e relatar o ocorrido.

Milhas

A Companhia emitiu nota afirmando que serão respeitados todos os pontos e benefícios do programa Latam Pass, assim como as políticas de flexibilidade e demais normas vigentes.

Segundo a visão dos analistas, as milhas concedidas não serão perdidas, mas os consumidores podem esperar uma desvalorização, ou seja, o custo de viagem por pontos será bem maior que antes da crise.

Alternativas para resgatar os pontos:

  1. Resgatar passagens com parceiras
  2. Trocar por produtos e serviços
  3. Vender as milhas.

É importante destacar, que os analistas não consideram a venda de milhas uma alternativa totalmente segura para os consumidores, pois essa comercialização não é autorizada pelo programa de fidelidade, apesar de não ter uma regulamentação legal que proíba a prática.

Leia também:


Gostou da nossa matéria? Para ficar sempre atualizado, siga nossas Redes Sociais: Facebook, TwitterInstagram.

Para relatar erros, clique aqui. Conteúdo publicado originalmente por bonsinvestimentos.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.