Como funciona a compra e venda de ações?

Apresentamos em artigos anteriores os principais conceitos sobre o que é uma ação e comentamos que as negociações são realizadas em uma Bolsa de valores. Sendo assim, a intenção agora é resumir de forma didática o fluxo da compra e venda de ações.





Mercado de compra e venda de ações


O mercado de ações geralmente é dividido em:

  • Mercado primário: investidor compra ação diretamente da empresa. Ou seja, é o lançamento de novas ações no mercado e os recursos obtidos são direcionados para a empresa.
  • Mercado secundário: investidor compra ação de outro investidor. Ou seja, é uma troca de propriedade de título e a empresa não recebe recursos neste caso.

mercado primario e secundario

Acompanhe o exemplo abaixo para compreender de forma didática como funciona este mercado de compra e venda de ações:

1 – A empresa “Bons Investimentos” precisa captar R$ 1.000 para expandir o seu blog e decide disponibilizar 1.000 ações com valor unitário de R$ 1,00 (um real).

2 – Desta forma, a “Bons Investimentos” se registra na BM&FBovespa, abre o seu capital e oferece 1.000 ações para futuros sócios que decidirem ser um bom negócio investir seu dinheiro na empresa.

3 – As corretoras de valores disponibilizam estas 1.000 ações lançadas pela “Bons Investimentos” para seus clientes. Este é o mercado primário, ou seja, a compra de ações diretamente da empresa.

4 – Após a venda de todas as 1.000 ações, começa a se formar uma relação de oferta e demanda por estes “papéis”.

5 – Um investidor primário pode decidir vender suas ações por vários motivos, como expectativa de queda do valor em função do desempenho da “Bons Investimentos” ter piorado ou simplesmente porque precisa do dinheiro investido para outros fins. Da mesma forma, outro investidor que não fez a compra das 1.000 ações disponibilizadas inicialmente pode decidir comprar por acreditar que o preço desta ação irá subir no médio ou longo prazo.

6 – Sendo assim, o investidor primário emite uma ordem de venda de suas ações na corretora por um valor definido por ele mesmo. A corretora emite automaticamente essa ordem de venda para a Bovespa.

7 – Um investidor que tenha interesse nessas ações, mas não tenha conseguido comprar nenhuma das 1.000 ações inicialmente disponibilizadas, poderá emitir através de sua corretora uma ordem de compra com determinado valor estipulado por ele mesmo.

8 – Caso o preço da ordem de venda do investidor primário for igual ao preço da ordem de compra do outro investidor, o negócio é fechado. E está configurado o mercado secundário, ou seja, comercialização de ações entre investidores sem a participação da empresa.

Talvez você tenha achado tudo isto um processo longo e demorado, mas na prática as ações das principais empresas negociadas na bolsa possuem uma grande liquidez e o processo pode levar apenas alguns segundos para ser concluído, uma vez que todo o processo pode ser feito de qualquer computador com acesso a internet.

Porém, é importante ressaltar que se você possuir uma ação da “Bons Investimentos” que está cotada a R$ 1,00 e desejar vendê-la por R$ 15,00 é provável que isto nunca aconteça, uma vez que os possíveis compradores estarão dispostos a pagar apenas algo em torno de R$ 1,00 por esta ação.

Desta forma, se você quiser comprar ou vender uma ação de forma mais rápida é interessante comprar ações de empresas com grandes volumes diários de negociação e dar ordens de compra ou venda com valores próximos às cotações atuais do mercado.


Como comprar minha primeira ação?





Agora que já percorremos os principais conceitos básicos, vamos efetivamente entender como comprar uma ação. Fique tranquilo, pois é mais fácil do que parece.

Os investidores mais experientes podem ter aquela lembrança eternizada em filmes onde as pessoas ficavam com o telefone na mão gritando para comprar/vender uma ação em um ambiente completamente tumultuado, certo?

compra e venda de ações

Entretanto, os tempos são outros e hoje em dia todo o processo é informatizado. De forma prática, saiba que você não precisa sair de casa para nada. Todas as operações podem ser realizadas através da plataforma conhecida como “home-broker” da sua corretora.

Salientamos que existem basicamente quatro formas de adquirir ações e, como tudo na vida, todas possuem suas peculiaridades:

  • Fundos de investimento

fundos de investimentos

Você compra cotas de um fundo gerido por um gestor que fica responsável por efetuar as compras e vendas de ações.

Nesta opção, o investidor “terceiriza” a montagem da sua carteira de investimentos, pois é o gestor quem decidirá as ações que comporão a carteira do fundo.

Teoricamente, a vantagem é ter o serviço de um gestor profissional e capacitado para acompanhar diariamente o mercado e fazer as melhores escolhas. Entretanto, nem sempre isso é garantia de bons retornos.

A principal desvantagem está no fato de serem cobradas taxas de administração e, em alguns casos, taxas de performance.

Enquanto as taxas de administração são cobradas sobre o patrimônio total dos fundos, as taxas de performance são cobradas em cima da fatia dos rendimentos que superam determinado índice de referência acordado inicialmente entre as partes (geralmente se utiliza o índice Ibovespa).

  • Clubes de investimento

clubes de investimentos

Reunião de pessoas físicas que juntas tomam as decisões em quais ações irão investir o dinheiro do clube.

O clube de investimento pode ser composto por um mínimo de 3 e um máximo de 50 participantes.

O patrimônio do clube de investimentos é dividido em cotas, igual ao que ocorre nos fundos de investimentos. Desta forma, ao aplicar o dinheiro em determinado clube você passará a ser um cotista.

A gestão dos clubes de investimentos pode ser realizada pelos próprios cotistas ou por um gestor profissional certificado e credenciado junto à CVM e contratado pelo clube. Esta decisão sobre a gestão dos clubes deve ser tomada na assembleia geral.

Assim como acontece nos fundos de investimentos, o retorno dos clubes se dá através da valorização das cotas, que depende da valorização das ações que compõem a carteira do clube.

Para a montagem de um clube de investimentos devem ser obedecidos basicamente 5 passos:

a) Reunião dos integrantes do clube.

b) Definição da instituição financeira para a abertura de conta. Este procedimento pode ser realizado através de bancos ou corretoras.

c) Elaboração do Estatuto do clube.

d) Definição do valor de investimento de cada integrante e, consequentemente, valor inicial das cotas.

e) Investimento nos ativos de Renda Variável definidos pelos cotistas.

  • ETFs (Exchange Traded Funds)

etf ações

Nesta modalidade você compra diretamente um conjunto de ações com uma simples ordem, ou seja, você adquire várias ações de uma única vez.

Quando você aplica em um ETF que replica um índice de ações, por exemplo, passa a deter uma parcela de todas as ações que compõem esse índice, sem precisar comprar separadamente os papéis de cada empresa.

Como o investimento é diversificado, ou seja, não está direcionado para uma única empresa, teoricamente o risco do investidor é diluído.

O índice de ações mais popular no Brasil é o IBovespa, ou IBOV. A composição do índice muda periodicamente e é composta de aproximadamente 60 ações. O fundo BOVA11 é um ETF que busca replicar o IBOV.

Ou seja, através do investimento no BOVA11 um investidor pode acompanhar o IBovespa sem ter que adquirir as ações individualmente.

Através das ETFs você pode adquirir também ações da bolsa americana (S&P 500).

O S&P 500 é um dos mais relevantes índices de ações americanos. É um índice composto por quinhentos ativos listados na NYSE ou na NASDAQ, sendo um dos índices que melhor representa o desempenho do mercado acionário americano. Em sua composição estão gigantes como Facebook, Amazon, Microsoft, Apple, Coca-Cola, GM, entre outras.

Viu? Você pode ser sócio do Facebook e da Coca-Cola de uma forma bem simples!!!

Atualmente existem dois ETFs negociados na BM&FBovespa que refletem esse índice. Através desse tipo de ETF, o investidor fica exposto tanto à variação do índice americano quanto à variação do dólar.

Ou seja, para clientes que buscam investimentos em dólar, trata-se de uma opção extremamente interessante. Entretanto, as ETFs americanas são indicadas para investidores que possuem conhecimento em mercado internacional.

  • Montar a sua própria carteira de ações

trader-carteira-ações

Aqui você é o responsável direto pela compra/venda das ações. E montar sua carteira de forma rentável requer muito estudo e trabalho.

O mercado financeiro tem predominantemente duas linhas teóricas de estudo: análise técnica e análise fundamentalista.

A análise técnica é voltada basicamente para os investidores de curto prazo (swing ou day trade), pois ela acompanha a repetição estatística do comportamento dos gráficos de preço das ações.

Exemplo: Se uma ação chega ao seu fundo histórico (nunca custou tão barato), estatisticamente ela irá subir e com isso os investidores “apostam” , com fundamento na análise técnica, que a ação irá subir e assim obter seus lucros.

A análise fundamentalista é voltada para o investidor de médio/longo prazo, pois acompanha o fundamento da empresa, como a sua gestão, plano de negócios, dívidas, reinvestimento de lucros e perspectivas de expansão, por exemplo.

Exemplo: Uma empresa que paga bons dividendos, tem dado lucro nos últimos anos e possui uma política de investimento consciente pode ser uma séria candidata a entrar na sua carteira de ações.

Reiteramos que ambas teorias são passíveis de ganhos e perdas e aconselhamos investir em CONHECIMENTO antes de tomar qualquer atitude.


Após decidir em qual destas quatro modalidades irá investir, você só precisará obedecer aos seguintes procedimentos:

  • Escolher uma instituição financeira para abrir conta

Corretoras de bancos e corretoras independentes fazem esse serviço. Normalmente, as corretoras de bancos possuem custos operacionais mais elevados do que as corretoras independentes (exemplo: XP Investimentos, Easynvest, Rico).

  • Enviar o dinheiro para a corretora escolhida

Essa é a parte mais simples. Nesta etapa você faz um DOC/TED assim como faz pra qualquer pessoa física/jurídica, transferindo o dinheiro de sua conta corrente para a conta da corretora.

  • Efetivar a aplicação previamente escolhida.

Nesta parte você precisará utilizar a plataforma “home-broker” da corretora escolhida para realizar as ordens de compra e/ou venda.


Pronto! Você já está apto a comprar sua primeira ação, mas aconselhamos seguir as seguintes dicas:

  • Verifique a corretagem e os custos operacionais, eles podem drenar seus lucros.
  • Pense muito antes de comprar a primeira ação, ninguém se torna sócio de nada do dia pra noite.
  • Conheça seu perfil, autoconhecimento é muito importante nas suas decisões.

Este é o quarto e último artigo da nossa série intitulada “Ações para leigos”. Para conhecer os demais artigos, acesse:

Para dúvidas, elogios ou reclamações, basta deixar um comentário aqui embaixo. Teremos o maior prazer em te responder, combinado?

renda variável e ações fabio paredes






2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *